Mercantil admite e se retrata por Assédio Moral

05/07/2013 - 13:15

Mercantil admite e se retrata por Assédio Moral

Após ser denunciado por prática de assédio moral devido à divulgação, via e-mail, de uma listagem com o ranking de vendas dos funcionários, o banco Mercantil do Brasil admitiu o erro e se retratou pelo ocorrido.

O banco publicou em seu sistema interno nota de orientação sobre a divulgação de campanhas e programas de incentivo, dois dias depois da reunião com o Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE). Após o Sindicato ter denunciado e exigido a retratação, o fim do assédio moral e da divulgação de ranking, o banco firmou compromisso de impedir que novas ocorrências como essa se repitam.

No e-mail, enviado em abril,  além de constar a listagem haviam expressões desrespeitosas que estimulavam a competição entre os funcionários. Essa divulgação infringiu a cláusula 35ª da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2012/2013, que veda a exposição de ranking.

Durante a reunião, os dirigentes reivindicaram o acesso e acompanhamento dessa e de todas as demais comunicações emitidas aos bancários envolvidos. Além disso, foi questionado ao banco sobre as políticas de prevenção ao assédio moral e, em resposta, o mesmo afirmou abordar o tema em treinamentos de Recursos Humanos (RH) e através de atividades de conscientização.

Na oportunidade, nova denúncia foi realizada. Segundo os representantes dos bancários, o Mercantil está encaminhando seus demitidos para a Comissão de Conciliação Voluntária (CCV) da Federação pelega, da rua Sergipe, desrespeitando a autoridade e representatividade do Sindicato.  Para tratar desse novo problema, outra reunião poderá ser agendada no STRE  que já encaminhou a denúncia para a fiscalização.

O Mercantil tem descumprido os acordos firmados com a categoria além de ignorar os sindicatos. É uma grande conquista obter uma retratação do banco, e isso motiva os dirigentes sindicais a persistir defendendo a pauta e os interesses trabalhistas em busca de mais conquistas. A valorização dos sindicalistas e funcionários do banco é um direito que deve ser respeitado por qualquer instituição financeira.

“Esse tipo de atitude dos gestores do banco, que desrespeita a convenção coletiva, os bancários, e são práticas antissindicais, serão fiscalizadas e denunciadas pelos sindicatos todas as vezes que acontecerem. Esperamos que isso não se repita ”, declarou Sérgio Luis (Marola), diretor do Sindicato e funcionário do banco.

Comentar

CAPTCHA
This question is for testing whether or not you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
15 + 2 =
Resolva este problema matemático simples e digite o resultado. Por exemplo para 1+3, digite 4.
Atualizar Digite os caracteres que você vê nesta imagem. Digite os caracteres que você vê na imagem acima; se você não conseguir lê-los, envie o formulário e uma nova imagem será gerada. O sistema não diferencia maiúsculas de minúsculas.  Switch to audio verification.

Comentários recentes

Newsletter

Mantenha-se informado com nosso boletim online

Denuncie